Mangás: Bate-Papo com as editoras



Olá leitores!
Vamos ao nosso último post relacionado ao Ressaca Friends. (saiba mais aqui)
No dia 17/12 houve um bate-papo com as principais editoras de quadrinhos e mangás: Panini, JBC, NewPop e Devir, que foi mediado pelo Portal GenkiDama.
Infelizmente nenhum anúncio novo, mas isso já era esperado, porém esperança é a última que morre, não é?  O bate-papo girou em torno do atual mercado de mangás no Brasil, projetos das editoras, últimos lançamentos e perspectivas para 2018.

As editoras comentaram  sobre as vendas baixas devido à crise,  como ela afetou o mercado gerando uma incerteza de venda e as estratégias para contornar a situação. 

Panini
Decidiram mudar a forma de distribuição de mangás por conta da crise. Pretendem manter os mangás em bancas de jornal, porém enfrentam o problema de vendas baixas fazendo com que os mangás voltem para a editora e o público reclame que não acha a edição desejada.
A editora disse que este foi um ano atípico.

Entre os títulos que ainda trouxeram este ano estão: Witch, Tokyo Ghoul:Re e Zelda.
Próximos lançamentos: Jojo, Pokémon Gold.

JBC
Consideraram o ano difícil e decidiram diminuir a quantidade de lançamentos durante o ano e aumentar a diversidade de formatos e preços. Começaram uma loja digital (que inclusive tem ótimos pacotes de assinatura).
Trouxeram mangás em versão digital que já são encontrados nas principais lojas do ramo como Amazon, Kobo Rakuten, Kobo Livraria Cultura, iBooks e Google Play Books. Não são todos os títulos disponíveis e prometem aumentar o número de títulos aos poucos. Alguns dos mangás virão com versões diferentes da edição física.

Entre os títulos que ainda trouxeram este ano estão: The Ghost in the Shell 2.0, Fairy Tail Gaiden, Coin Laundry e My Hero Academia Smash!!


NewPop
Este ano completou 10 anos e divulgaram vários títulos diferentes.
A editora disse que foi um ano bom, mesmo sentindo as mudanças no mercado. Sofreram menos, pois não estavam tão dependentes das bancas de jornal e passaram a investir mais em eventos, lojas online e assinaturas.  
Também limitaram a quantidade de títulos por mês.
Explicaram que muitos anúncios acabaram ficando para 2018 por conta de problemas pessoais.
Sobre as edições físicas: Sempre tentam manter todos os volumes para novos leitores que conhecem o mangá no meio de sua publicação.
Também estão visando o mercado digital.

Entre os títulos que ainda trouxeram este ano estão: GTO e Re Zero
Próximos lançamentos: Shakugan no Shana, Toradora, Happiness e mais alguns títulos baseados em games.

Devir
A Devir é nova no mercado de mangás e prometem vir com tudo trazendo títulos bem diferentes e fazendo um mangá próprio para livrarias e lojas especializadas, algo mais luxuoso. Falaram também sobre trazer alguns títulos que não são de grande conhecimento.
A crise também os afetou e sentiram isso através da estrutura para os quadrinhos chegarem. Muitas gráficas acabaram fechando, fazendo com que se torne difícil e caro fazer um quadrinho impresso. Cogitaram a opção digital por ser mais barata e popularizar os quadrinhos com mais facilidade. Estão positivos em relação ao futuro.
Atualmente sua linha de quadrinhos conta com 30 títulos no total e sua linha de mangás com 2 títulos

Entre os títulos que ainda trouxeram este ano estão: Ancient Magus Bride e o Homem que Passeia
Próximos lançamentos: Uzumaki
 Após cada representante falar um pouco sobre as perspectivas da editora seguiu-se um bate-papo geral onde comentaram sobre a aposta que é trazer mangás muito pedidos e a reação do público que geralmente comemora e já cobra outro lançamento. Também há a preocupação com relação as vendas que normalmente não correspondem com a procura do público (títulos que são febres momentâneas).
Reclamaram sobre as pressões que os leitores fazem nas redes sociais para depois arrumarem, na maioria das vezes, desculpas para não comprar o título pedido: não gostei da tradução, formato, papel....
Sentem que há uma insatisfação por informação.
Há uma queda natural nas vendas de coleções longas, por isso sempre tomam cuidado ao trazer algum título do gênero. A primeira edição sempre é a que vende em maior quantidade.
Esforços que estão sendo feitos para atrair mais leitores: fazer uma tiragem grande para baixar o preço, melhoramento nas interação em  redes sociais e fechando parcerias de divulgação.
 
Gostaram do bate-papo?
Espero que o público seja um pouco mais gentis com as editoras após esse desabafo. 






Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário