Perfeitos de Scott Westerfeld

Foto de @kate_sanfins


Sinopse
Tally Youngblood agora é perfeita. A cirurgia foi um sucesso, morar em Nova Perfeição é ótimo e ela reencontrou seu amigo Peris. Além disso, a vida de feia rebelde a tornou uma verdadeira celebridade e agora a parte mais difícil de seu dia é escolher a roupa para ir às festas de seu novo lar. Entretanto, justamente quando estava se divertindo, ela recebe uma carta que desperta lembranças perturbadoras. De repente, Tally se vê forçada a escolher entre viver uma ilusão de felicidade ou enfrentar a difícil realidade e juntar-se à Fumaça mais uma vez.
Olá leitores, hoje trago a resenha de “Perfeitos” o 2º livro da série feios.
Se você ainda não leu a resenha do primeiro livro clique aqui.

---------------------Contém Spoilers------------------

Foto de @kate_sanfins

 Neste livro Tally se tornou uma perfeita e está vivendo sua vida “borbulhante” na cidade com seus amigos. Ela frequenta festas e tenta ser aceita pelos “Crims”, um grupo popular e que gosta de lembrar seus atos quando ainda eram feios. Após ser aceita Tally se envolve com o Zane, o líder dos Crims, e após o aparecimentos de uma pessoa misteriosa em uma festa, começam juntos a seguir pistas a respeito do passado de Tally e do local onde estaria a provável cura para a perfeição. Eles encontram dois comprimidos (a cura) e Tally fica insegura sobre toma-los ou não, por fim cada um acaba tomando um comprimido. Curados, os dois se preocupam com o que podem fazer para atingir o estado “borbulhante” ( uma espécie de  adrenalina que anula temporariamente o efeito de entorpecimento que a operação para perfeito causa), como podem chamar a atenção de outros perfeitos e como podem fugir daquela cidade levando todos os Crims para que possam ser curados.

Considerações
O livro mostrou pouquíssimas coisas. Tivemos mais um pouco da Tally fugindo e se aventurado no meio do desconhecido, a Shay sendo babaca (de novo) e a doutora Cable rindo da cara da Tally, porque ela falhou em fugir (de novo).
Os personagens evoluíram, Tally se mostrou uma pessoa mais madura e fiel que luta pelo que acredita, ela ainda continua insegura sobre suas escolhas e se sente culpada por tudo que aconteceu. A personalidade que Shay tinha começado a mostrar no primeiro livro evolui e ela se torna uma pessoa extremamente infantil e rancorosa que interpreta as coisas do jeito dela e não escuta os outros. O novo personagem, Zane, que é o mais novo namorado de Tally, é bem diferente e tem seu jeitinho cativante, parece ser um dos personagens mais maduros e é compreensível com os outros, ele é cauteloso e bem-humorado. David aparece no final e descobrimos que ele estava à espera de Tally e que não possui raiva dela, porém o autor não fez aquele reencontro caloroso, deixando claro o fim do relacionamento.
A troca de namorado da Tally foi algo não esperado, mas ao mesmo tempo é compreensível, já que o tempo que ela passasse como perfeita iria mudar sua forma de pensar e afetar sua relação com David, mas não que iria acaba desta forma. O livro mostrou que ambos apenas se apaixonaram e que foi algo passageiro 


Foto de @kate_sanfins
Faltou um pouco de movimento no livro, o mais empolgante é Tally tendo que lidar com seu passado esquecido e o surgimento de uma "reserva" (semelhante a uma reserva florestal com índios) que ajuda a mostrar como o governo tem manipulado as coisas. As respostas são dadas apenas no final do livro e tudo de uma vez. 
O que mais me incomoda é a doutora Cable tratar Tally como um bichinho e ficar brincando com ela deixando ela fugir para depois prender de novo e fazer algum experimento nela.
Esperava um pouco mais deste livro, como algum plano para expor o que a mudança para perfeito causa, porém os novos acontecimentos são bem interessantes e pudemos nos aprofundar mais um pouco sobre as coisas que o governo tem feito escondido e sobre seus motivos. O mais interessante é o questionamento que este livro nos traz sobre como a sociedade trata o mundo em que vivemos e que futuro este comportamento pode levar.

“Nós estamos sob controle, Tally, graças à operação. Largados à própria sorte, os seres humanos são uma praga. Eles se multiplicam sem controle, consomem todos os recursos naturais, destroem tudo em que botam as mãos. Sem a operação, os seres humanos sempre se tornam Enferrujados.”
 – Dra. Cable


A leitura continua fácil e fluida e a divisão em capítulos deixa a leitura menos pesada. 




| Editora: Best Bolso
| Autor: Scott Wsterfeld 
| Páginas: 308
| ISBN:  9788577993703
Skoob

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário