A seleção de Kiera Cass



Olá pessoal! Tudo bem com vocês?
Hoje quero falar de uma distopia lida há um tempo atrás, mas que gostei muito e não conheço ninguém que não tenha gostado também. 

O primeiro livro da trilogia criada por Kiera Cass se chama A Seleção. Contado em primeira pessoa pela personagem América, este livro é mais voltado para a primeira fase do processo seletivo para a escolha de uma nova princesa de Illéa.
Illéa é um país criado após a quarta guerra mundial, onde foram unidos países que hoje conhecemos como Estados Unidos, Argentina, Brasil etc. Toda a América Central e Sul se uniram num só país e de volta a monarquia existe rei, rainha, príncipe e princesa.

A seleção é para encontrar a princesa filha de Illéa, ou seja, o príncipe deve se casar com uma plebeia no intuito de acalmar as castas inferiores, pois a três gerações não nascem princesas e de tempos em tempos os rebeldes ficam agressivos à monarquia.

A primeira fase é feita através de convites às moças de todas as províncias, que possuem de 16 a 20 anos, todas que tem interesse em participar devem preencher o formulário e entregar para que talvez seja uma das 35 selecionadas, e essas 35 moças irão para o castelo onde viverão como princesas até seu retorno para casa, caso não cheguem à segunda fase que se chama A Elite.

America nunca pensou em ser princesa, ela já tinha seu amor, porém foi escolhida para participar da seleção. Com um pouco de relutância ela se inscreve e fica entre as 35 selecionadas. Sua família fica muito feliz, mas ela não. E é no castelo que tudo acontece. 

Neste livro, além de romance existe um pouco de distopia, pois com a criação do novo país, nova organização voltada para a monarquia, também foi criado o que Kiera Cass chama de Castas. As castas são grupos de pessoas denominadas pela sua posição financeira na sociedade e vai do número 1 ao número 8.
Assim como já vimos em Jogos Vorazes, que existem os distritos e em Divergente que existem as facções, as castas servem para colocar "ordem" na sociedade recém-devastada. Mas, não significa que essa divisão seja justa.

Foto linda da leitora @karen_murielly (siga no instagram)

Conheça as castas

Um: Realeza, clero.

Dois: Todas as celebridades, como músicos, atletas profissionais, atores, modelos, políticos, oficiais (soldados, policiais, bombeiros ou guardas escolhidos no recrutamento).

Três: Educadores, filósofos, inventores, escritores, cientistas, médicos, veterinários, dentistas, arquitetos, bibliotecários, engenheiros, psicólogos, cineastas, produtores musicais, advogados.

Quatro: Fazendeiros, joalheiros, corretores de imóveis e de seguros, chefes de cozinha, mestres de obras, proprietários e donos de restaurantes, lojas e hotéis.

Cinco: Artistas, músicos, cantores eruditos, atores, dançarinos.

Seis: Secretários, serventes, governantas, costureiras, balconistas, cozinheiros, motoristas.

Sete: Jardineiros, pedreiros, lavradores, pessoas que limpam calhas e piscinas, e quase todos os trabalhadores braçais.

Oito: Pessoas com deficiência (especialmente quando desamparadas), viciados, fugitivos, sem-tetos.

Nossa narradora America pertence à Casta 5 e ao ser selecionada para A seleção ela se tornou uma 3. Eu amei o primeiro livro que conta muito sobre America, seus dramas familiares, sua visão sobre as castas e sua repugnância pela disputa. Já li os demais, só falta o ultimo que chama A coroa, atualmente virou uma série de cinco livros, mais alguns contos. 

Em 2015 fiz um vídeo no meu antigo canal sobre a série, confira a seguir:


Você já leu? Conte-me o que achou.

Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário