A menina que tinha dons de M. R. Carey


Olá pessoal!
Você sabe o que são famintos? Você sabe o que pode acontecer quando um parasita muito inteligente resolve dar um pulo mais alto? Então vem descobrir nessa resenha! 

A menina que tinha dons


Sinopse: Cultuado autor de quadrinhos e roteiros da Marvel e da DC Comics, entre eles algumas das mais elogiadas histórias de X-Men e O Quarteto Fantástico, o britânico M. R. Carey apresenta uma trama original e emocionante em sua estreia como romancista com A menina que tinha dons, lançamento do selo Fábrica231. Aclamado pela crítica, o livro se tornou um bestseller imediato na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos ao contar a história de Melanie, uma menina superdotada que faz parte de um grupo de crianças portadoras de um vírus que se espalhou pela Terra e que são a única esperança de reverter os efeitos dessa terrível praga sobre a humanidade. Uma comovente história sobre amor, perda e companheirismo encenada num futuro distópico.

"Talvez porque ela tenha uma paixão por mim e todo amor é cego, como precisa ser."

Melanie é uma garota de 10 anos. Capturada juntamente com outras crianças para participar de um programa que consiste em analisar as características e funções cerebrais dos mesmos. Mas ela e as outras crianças não são crianças comuns, são famintos. 
As crianças foram levadas para uma base militar, onde cada uma tem uma cela onde todos os dias pela manhã são acordadas com uma sirene, ao qual já sabem que devem se trocar e sentar na cadeira de rodas imediatamente. Depois de sentar na cadeira de rodas, todas recebem a visita de três adultos, sendo estes o sargento e dois soldados. o sargento aponta a arma para o rosto da criança de modo a mantê-la sob controle enquanto os dois soldados prendem as mãos, pernas e pescoço na cadeira com tiras. No começo você se pergunta, o que é isso? Porque isso acontece? E quanto mais o autor descreve as características da base através dos olhos de Melanie, mais você quer ler e descobrir do que se trata tudo isso.

"Se eles sentem o seu cheiro, seguem você por cem quilômetros e, quando pegam, comem."
Página 9


Os famintos são pessoas contaminadas por um vírus que assolou Londres e talvez o resto do mundo inteiro, tornando antigos seres humanos em sacos de carne ambulantes e fantoches do tal vírus parasita. O vírus é transmitido pelo sangue ou saliva e uma vez na corrente sanguínea ele toma seu posto no cérebro do ser vivo. Uma vez instalado não há volta a batalha interior é perdida, pois o vírus já sabe como invadir o sistema cerebral. 

"E o parasita, cujas necessidades e tropismos são muito diferentes das necessidades e instintos humanos, é um mordomo diligente."
Página 41

Essa história é narrada em terceira pessoa, mas é incrível como o autor consegue narrar os personagens de maneira tão diferente que a narrativa se adéqua a cada um de maneira única. Neste livro vamos conhecer principalmente Melanie, Helen, Caroline, Kieran e Parks. Garota, professora, cientista, soldado e sargento respectivamente.
Desde o início eu fiquei apaixonada por Melanie, mesmo sendo uma criança faminta ela é muito inteligente e primeira de sua turma em muitos aspectos. Depois construí uma admiração muito grande pela professora Helen e uma aversão na mesma medida pela cientista Caroline. 
Existem reviravoltas espetaculares, não reviravoltas na história, mas em relação aos sentimentos como leitora quanto aos personagens, pois no início eu odiava o sargento e a cientista, mas depois o sentimento mudou.

"De vez em quando, mesmo agora, o universo dá exatamente o que você precisa."
Página 211

Não há lacunas, pontas soltas e perguntas sem respostas, simplesmente excelente! Um livro que quero reler, reler e reler sempre que possível. Recomendo para todos que queiram uma história completamente diferente e única de distopia.


Assista ao book-trailer do livro.

| Editora: Rocco
| Autora: M R Carey
| Páginas: 384
| ISBN:  9788568432020
| Skoob
| Onde comprar 

Share this:

JOIN CONVERSATION

3 comentários:

  1. Gostei da ideia do livro, a temática dele me interessou e o jeito de fazer a história me deixou curiosa. Parece que cada personagem tem uma voz diferente e isso fica mais real na hora de ler. Mas tinha visto umas coisinhas bem pra baixo sobre ele. Adiei e acabei não lendo. Uma hora quem sabe ainda pego. Parece ser um bom livro pra mim, acho que iria gostar.

    ResponderExcluir
  2. Oi!!
    Que livro mais interessante!! Gostei bastante da sinopse do livro que no minimo intrigante. Também gostei muita da resenha que despertou minha curiosidade sobre esse livro!! Adorei a indicação!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Letícia!
    O escritor além de mudar o estilo nos presenteia com um enredo fabuloso e curioso.
    Fiquei daqui imaginando tudo o que acontece nessa base com as crianças e por que Melanie é taõ especial e diferente das outras.
    Com certeza entrou na lista dos desejados.
    “Ano Novo!
    Um novo ano começou, e assim, eles passarão: um a um… São mais 365 dias... Novas outras 365 oportunidades de fazer diferente! Fazer melhor, fazer mais, em alguns casos, fazer menos… Espero que ao final desse tempo, possamos contabilizar quantas estrelas fizemos brilhar…” (Desconhecido)
    FELIZ 2017!
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir