O Caderninho de Desafios de Dash e Lily de David Levithan e Rache Cohn



Sinopse
Lily sente que chegou a hora de se apaixonar. Para achar sua cara-metade, ela vai contar com o irmão, que ajuda a garota a criar uma série de tarefas num caderno vermelho. Quem o encontrar, em meio às prateleiras da mais caótica livraria de Manhattan, deve aceitar ou não seu desafio. Dash, um lobo solitário, encontra o moleskine em sua livraria predileta, e os dois ousam trocar sonhos, desafios e desejos nas páginas do caderninho que será achado e perdido sucessivamente nos mais diferentes locais da cidade.




Considerações
O Caderninho de Desafios de Dash e Lily é uma história com leitura bem suave e gostosa.  As aventuras criadas pelo caderninho são bem engraçadas o que não deixa o livro meloso. O que adorei no livro é a quantidade de referências que ele traz consigo, desde artistas como Georgia O’Keeffe, até poetas e pessoas bem conhecidas trazendo inclusive citações. Também apresenta diversos termos para acrescentar ao vocabulário, mas nada que torne a leitura difícil já que Dash geralmente explica o significado da palavra.

“ -Por que as garotas sempre se apaixonam pelos caras com a capacidade de atenção de uma drosófila?
- O quê?
-Moscas de fruta. Caras com capacidade de atenção de uma mosca de fruta.
-Por que eles são gatos?

-Essa não é a hora de ser sincera – rebati. “ pag. 164

Sobre os personagens:
Temos Lily que é uma garota otimista e altruísta, porém tem crises onde explode de raiva e começa a gritar e chorar. Ela se auto intitula "garota estranha do colégio", por isso não tem amigos (bem, é o que acredita). Ela é bem próxima de sua família e recebe toda a força que precisa deles. É uma personagem que vivia no seu mundinho até começar a troca de caderninhos com Dash. A evolução dela no controle de raiva e aproximação com as pessoas chega a ser inspirador.
Dash é um cara fechado e por conta disso a maioria das pessoas o descreve como uma pessoa hostil, porém ele é gentil e atencioso. Suas mentiras para tentar disfarçar as situações sem dúvidas é uma das características mais engraçadas nesse personagem. Ele gosta muito das palavras e enfeita seu vocabulário com elas. Dash ao contrário de Lily já tem vários amigos e não tem uma relação muito boa com a família. O livro traz o velho clichê de "os opostos se atraem”.


“Você acha que contos de fadas são coisa de menina? Uma dica: pergunte a si mesmo quem os escreveu. Garanto que não foram só mulheres. (...)” pag. 129

Não consegui criar simpatia com o irmão de Lily, o Langston. Embora ele tenha ajudado a personagem com a ideia do caderninho é um personagem que me irritou bastante por ser um tanto mimado. 
Boomer é amigo de Dash, aquele típico amigo que sempre está fazendo piadas que só ele mesmo entende e isso dá uma certa graça ao personagem. Ele está sempre brincando e falando com animação.

O livro retrata bastante coisa do dia-a-dia e se passa na época do natal. Traz reflexões sobre nossas atitudes e a vida tudo regado ao bom humor. Os personagens são comuns e isso aumenta a sensação de proximidade. Temos temas como divórcio, relacionamento Gay, superproteção da família, dificuldade em socializar, distância, como surgem boatos...

“Talvez, pensei, não seja a distância o problema, mas como você lida com ela. ” - Dash, pág. 122

É uma ótima leitura para relaxar e refletir um pouquinho. O livro não é pequeno e as letras são grandes. Foi muito bem concluído pelos autores deixam um gosto de satisfação no final após tantas trapalhadas.





  
| Editora: Galera
| Autores: David Levithan e Rache Cohn
| Páginas: 256
| ISBN:  9788501105158
Skoob




Share this:

JOIN CONVERSATION

    Blogger Comment

0 comentários:

Postar um comentário