Batman – A Piada Mortal (Filme)



Em 1988, o universo da DC Comics mudou consideravelmente com a chegada de Batman: A Piada Mortal, quadrinho escrito por Alan Moore e ilustrado por Brian Bolland. 

Após uma série de edições e relançamentos, a clássica história ganhou seu primeiro filme animado, que foi exibido dia 25 de Julho em seções exclusivas para todos país, o melhor da jogada além do filme foi ter essa exlusividade de exibição apenas nas redes Cinermark. Resumidamente, o filme foi em cartaz por apenas um dia em todos os cinemas da rede Cinemark e esse aqui que vôs escreve teve essa oportunidade de ir ver no cinema com toda exclusividade possível. Em A Piada Mortal de Allan Moore (Um dos criadores da obra em HQ) oferece uma narrativa sombria e reflexiva para contar a origem do Coringa (e de sua loucura). Atos bizarros e cruéis do vilão trazem uma das histórias mais violentas do universo dos quadrinhos e tudo isso é reproduzido com fidelidade na animação.

Trailer oficial da Animação:


Adaptada por Brian Azzarello, o filme conta com um prólogo inédito focado em Barbara Gordon como Batgirl. Embora a transição entre este ato e o começo original de A Piada Mortal seja desconexa, a atenção triplicada na personagem e companheira de Batman funciona bem para intensificar os futuros atos de Coringa. Apresentar Barbara apropriadamente aos espectadores deixa a história original ainda mais emotiva, além de eliminar a imagem da heroína como uma vítima indefesa. Os acontecimentos que envolvem Barbara funcionam como um aviso sobre pessoas insanas, ao se deparar com um homem insamente atraído por ela, Batman logo tenta afasta-lá antes que seja tarde, porém seu senso de justiça é mais alto onde faz com que Barbara ignore a ordem de seu companheiro e entre em ação, o resultado desse embate envolve uma mistura de tons sinistros com românticos, durante os acontecimentos fica claro os sentimentos de Barbara por Bruce Wayne e sua identidade, ela tenta ao maxímo não se entregar a tudo, só que em um desfexo ela acaba se entregando e fica bem claro o que aconteceu em uma das cenas polêmicas da animação.

Uma  das mudanças que achei meio desnecessária, no entanto, envolve a dúvida de Coringa assediou ou não Barbara após atirar em sua coluna. Enquanto o quadrinho não deixa isso claro, a animação sexualiza a personagem e dá a entender que o abuso sexual de fato aconteceu. O que acontece após o trágico ataque, no entanto, fortalece a independência da personagem e sua importância no universo da DC.


Sem dúvidas, o maior destaque da animação vai para Mark Hamill (Ator responsável pelo papel de Luke Skywalker em Star Wars) retornando como a voz de Coringa. A insanidade e humor do vilão não poderiam ser melhor representados, trazendo exatamente a mesma paranoia que encontramos na HQ de  Allan Moore. Ao mesmo tempo, a tortura com o Comissário Jim Gordon continua perturbadora e memorável, algo que também não aconteceria sem a fidelidade aos detalhes visuais dos quadrinhos.

O famigerado desfecho ambíguo de A Piada Mortal fica muito mais claro na animação: o Batman mata o Coringa. Ao excluir alguns recursos dos quadrinhos como o farol e barulho da polícia ou a poça de água, o filme elimina quase que por completo a duplicidade do ato. Isso acontece por que, em um determinado momento, a risada do Coringa é interrompida bruscamente e apenas o riso do Homem-Morcego pode ser escutado. Não é uma mudança necessariamente negativa, mas que definitivamente vai criar novos debates sobre uma das cenas mais memoráveis da história dos quadrinhos. Por fim, o filme segue fielmente o quadrinho até o ponto de poder eliminar explicações sobre suas diferenças, alguns pontos claramente mudariam para deixar o filme mais adaptável para os cinemas, gostei muito da animação e não me arrependo em nada de ter pago um pouquinho mais para seção exclusiva, antes de acabar deixem eu comunicar algo bom, se você ficou com muita vontade de ver o filme e acha que não poderá ver ou terá muita dor de cabeça para caçar na internet pode ficar sossegado, no dia 1 Agosto , foi lançado em DVD o filme sem nenhuma mudança do que tive a oportunidade de ver no cinema e ainda por um preço ''bacanudo'' de R$ 19,90 (Valendo lembrar que o filme é para maior de 18 anos), então fique tranquilo e vá para qualquer livraria autorizada ou site de vendas e adquira o seu, claro não esquecendo que existe o quadrinho para complementar ainda mais o entendimento com a obra. Obrigado por tudo e até a próxima.

Share this:

JOIN CONVERSATION

2 comentários:

  1. Olá, estou tão perdida e atrapalhada em relação a lançamentos. e confesso que quadrinhos não é muito minha praia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Aline, realmente estamos em uma ano que quadrinhos e adaptações em filmes se tornaram rotineiras, mas mesmo não sendo sua praia como qualquer assunto, existe aquele quadrinho ou aquele filme que irá ter mais seu gosto, tenho certeza que vc achará.

      Excluir