Eu vejo Katy de Claudia Lemes

O aniversário de um ano de morte do serial killer Nathan Bardel está chegando, com isso Katherine Dwyer uma ótima escritora de romances, porém não de sucesso, decide junto a sua amiga e agente desenvolver uma história sobre o assassino em série de sua cidade natal Blessfield.


Katy então parte para uma pesquisa profunda sobre seriais killers no geral, lê diversos livros, assiste a vídeos, faz entrevistas com pessoas relacionadas ao caso de Bardel e monta uma parede de fotos, datas e modus operandi dos assassinatos feitos por Bardel contra doze mulheres em Blessfield. Todas escolhidas previamente e mortas cruelmente.

Nathan Bardel foi o pior assassino em série da história do FBI, matou doze mulheres em sua cidade natal, todas com brutalidade e inteligência. Inteligência para não ser pego, para não deixar rastros. Porém, como todo serial killer ele começa a perder o controle e a matar cada vez mais rápido entre o intervalo de uma vítima e outra, sem planejamento e já com um agente do FBI na sua cola ele foi pego. Nathan Bardel foi morto e antes disso contou quase tudo ao agente Ryan Owen, mesmo agente responsável por sua prisão.

Acompanhamos a construção do livro, as pesquisas de Katy e o despertar de um novo serial killer. Em três narrativas surpreendentes de Katy, Ryan e Nathan conseguimos ver todos os lados da história. Nathan está morto, porém foi atraído por Katy à partir do momento em que ela começa as pesquisas sobre ele. Fica muito claro no livro que ele tem uma certa influência sobre Katy e no início causa um certo terror no leitor, pois quando ocorre um assassinato idêntico ao modus operandi de Bardel ao lado do apartamento de Katy fica aquela dúvida se ele teria o poder de possuir o corpo de alguém e voltar a fazer o que sente muita falta, matar  mulheres bonitas com brutalidade.

Aos poucos vamos conhecendo não só a história do assassino, onde cresceu, seus traumas de infância e seus pensamentos antes, durante e depois dos assassinatos. Conhecemos também a história de Katy, uma mulher que tem problemas com sua família, com seu ex namorado, problemas de alimentação e nicotina. Vamos saber um pouco sobre Ryan Owen, o agente responsável pela prisão de Nathan, vamos saber sobre sua história durante a busca do assassino e depois da morte de Bardel.

A história é muito boa, a Claudia Lemes soube desenvolver um livro sobre serial killer de uma maneira impressionante, rico em detalhes e com uma trama muito bem feita e com todos os fatos amarrados. Nenhum fato ficou sem explicação o que deixa o leitor com a sensação de conclusão, ponto final. No início você poderá se sentir aterrorizado, pelos detalhes, pelas narrativas e todas as informações desses três personagens: Nathan, Ryan e Katy. Porém, o livro é cheio de altos e baixos, em alguns momentos existem passagens que poderiam ter sido melhores construídas, como se só estivessem ali para ligar um fato a outro e com explicações desnecessárias. 

Do início ao meio do livro a leitura é eletrizante, depois começa a desacelerar e acredite se quiser, apesar de você acreditar que certas coisas podem ser possíveis, você saberá lá no fundo quem é o verdadeiro assassino em série que está operando novamente imitando Nathan. A questão toda gira em torno da produção do livro, alguém não quer que Katy continue pesquisando sobre Bardel, a editora decide não publicar o livro e a agente de Katy insiste que ela escreva outra história, com ameaças em sua porta, suspeita de assassinato e problemas pessoais vindo a tona, Katy se vê em um risco que ela não imaginava que poderia correr.

Recomendo a leitura para quem não se importa com detalhes e palavras agressivas, de uma maneira geral o livro me surpreendeu e gostei da experiência. 

Acesse o site e saiba mais sobre a escritora e o livro



| Editora: Empíreo
| Autora: Cláudia Lemes
| Páginas: 352
| ISBN: 9788567191140
Skoob

Share this:

JOIN CONVERSATION

8 comentários:

  1. Legal esse "q" de Criminal Minds. Tem previsão para o início das vendas? No pŕe vendas do site sou direciona ao Kick-starter, mas já está encerrado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Priscila, o livro não está em pré-venda, se você clicar em "onde comprar" você será direcionada para a saraiva online onde o livro ainda está disponível para comprar. Beijos

      Excluir
  2. Oi le
    Não costumo ler livro de serial killer, mas você consegui desperta meu interesse por este!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa foi a minha primeira leitura sobre o assunto Duda, mas depois me bateu aquela vontade de correr para aqueles livros sobre o mesmo assunto da Darkside que são os únicos que conheço kkk É bom ter novas experiências ;)

      Excluir
  3. Ooi, Le!
    Concordamos em muitos pontos. Livro muito bom. Algumas coisas desnecessárias ou maçantes, se assim posso colocar. A riqueza de detalhes é bem marcante. Recomendo para quem gosta do gênero.
    Amei a resenha. Beijos.
    Te adoro <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim isso que fiquei com medo de ser influenciada pela sua resenha! hahaha
      E mesmo não lendo antes vários pontos em comum.
      Obrigada pela visita!
      Te adoro ;)

      Excluir
  4. Olá.Não conhecia esse livro, mas depois de sua resenha, me pareceu uma leitura interessante. Um pouco forte, talvez, mas creio que bem rico em detalhes. Para quem gosta do gênero, vale a pena conferir. Sempre é bom variar um pouco de gêneros e autores, desde que a leitura proporcione prazer, claro. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Para tudo!!!
    Serial killer? Escritora sendo ameaçada? Já quero!
    Gosto de thriller psicológico, suspense e mortes kkkkkkk... Mas acho difícil eu descobrir quem é o assassino, até hj isso só aconteceu uma vez com o livro "Não Conte a Ninguém" do Harlan Coben.
    Parabéns pela resenha e obrigada pela dica!

    Blog Relíquias

    ResponderExcluir